segunda-feira, 27 de agosto de 2012

**



Esta coisa do amor... já lá não me encaixo há um bom tempo. De procura não se trata e de abundância muito menos. Não sei mais se vale mesmo a pena acreditar nesta coisa do amor, nesta coisa que só serve para chatear e fritar miolos. Quando o encontramos do outro lado, é capaz de ser as melhores sensações do mundo. Só o facto de o podermos partilhar com alguém, um alguém especial já o torna maravilhoso. No entanto, ele não aparece quando queremos, podemos andar anos a fio à sua procura bem do outro lado do rio que ele teima em fazer apenas umas simples aparições. 
O mais interessante, é que essas aparições aos nossos olhos parecem que é mesmo o amor , com o seu sorriso carinhoso a acenar-nos da outra margem. No fim de toda a história, ele desvanecesse como se de água no estado gasoso se tratasse e, pudesse até escrever sobre uma superfície transparente: "Daqui a uns dias eu volto!" O problema está em que em vez de ele reaparecer, ele apenas se esconde mais e mais e lá voltamos nós à estaca 0. Ao ponto inicial de um ser humano que já amou e já teve medo de ser amado, mas que agora queria apenas um bocadinho de amor, puro e forte, para que o coração acalmasse, a alma se desarmasse e o corpo se entregasse. Hoje, sei que é assim que queria estar. No entanto, parece-me que mais vale estar à espera no sofá a vê-lo passar.

4 comentários:

Pipo Santos disse...

" mas que agora queria apenas um bocadinho de amor, puro e forte, para que o coração acalmasse, a alma se desarmasse e o corpo se entregasse. "
Adorei!
Muito bom mesmo!! *

Quinn disse...

AAcho que tenho a mesma opinião que tu. Ai, ai
Escreves meeeesmo bem!

Nix disse...

Concordo!! E também acho que por uns tempos vou simplesmente ficar sentadinha no sofá a vê-lo passar (:

Parede Escrita disse...

Concordo plenamente contigo :)