segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Excertos

"Tu já devias saber que gosto de escrever, especialmente na minha cama, com a chuva lá fora e um quentinho cá dentro. Já devias saber que o céu não é azul por natureza é apenas o reflexo do azul dos oceanos. (...) Já devias saber que teria todo o meu tempo para ti, porque gostar de alguém exige esse esforço e lutamos apesar da distância.
A meio do texto isto seria uma carta, mais uma das muitas que te escrevi, para eu me lembrar que tu não sabes tudo aquilo que ele sabe mesmo não tendo passado horas a fio a conversar comigo, a me ver, a saber definidamente a cor dos meus olhos, o jeito do meu cabelo. (...) Julguei encontrar em ti aquilo que ainda não tinha descoberto nele.
Fica aqui a dica: quando não quiseres um futuro com uma pessoa não corras atrás, não faças promessas nem sejas preocupado. Dizes o que queres e pronto. Não vale a pena ir em frente se sabemos que está lá chapado um STOP e tens de parar e ceder passagem aos outros todos."




Pronto, aqui está um pequeno excerto das 5 páginas já escritas. Espero que gostem :) 

2 comentários:

nês disse...

Adorei, amei mesmo!

P. disse...

Muito obrigada , Nês :)