sábado, 1 de junho de 2013

Bizarro.





Aquela necessidade bizarra que acontece talvez a poucas pessoas de exteriorizar os sentimentos. Em que se está a ter uma bela de uma conversa observando o rio, de repente dá-nos uma vontade de dizer tudo aquilo que ali vai dentro de nós. Aquilo que nos corre pelo corpo todo a uma velocidade alucinante. Que quase não cabe no peito e tem uma vontade enorme de sair pela boca por forma de palavras. A voz trémula e baixa naquela dia de Sol magnífico, com a melhor das companhias. 
É estranho esta nossa necessidade de exteriorizar os sentimentos. Sabendo que corremos sempre o risco de ouvirmos um redondo "não" do outro lado. Aí faz-se um vazio imenso no nosso coração. E o sentimento escorre pelos olhos.

1 comentário:

margarida disse...

temos o "não" sempre garantido, mas há a possibilidade do "sim" e devemos sempre expressar-nos, deitar cá para fora ... por vezes a alma também precisa de desabafar, nos momentos mais improváveis